Anticoncepcional que engorda?

0

Um dos métodos anticoncepcionais mais difundidos é a pílula, um fármaco que é ingerido pela mulher e ajuda a impedir a fecundação do óvulo e, consequentemente, o surgimento da gravidez. Para poder ser eficaz, a pílula anticoncepcional deve ser tomada com regularidade, pois se trata de um verdadeiro e próprio remédio à base de hormônios, o qual deve ser prescrito pelo ginecologista depois de um exame minucioso em que se conclua pela necessidade de recorrer a tal método mais do que a outro.

Enfim, assumir a pílula ou não é uma escolha que deve ser feita com conhecimento, a partir da informação bem feita sobre as características do medicamento e sobre suas eventuais contraindicações.

anticoncepcional que engorda

Por que muitas acham que a pílula leva a engordar?

Muitas mulheres consideram, de fato, que a pílula faz engordar. Partindo do pressuposto que esta consequência é subjetiva, pode-se, então, tê-la como diferente de mulher para mulher e podemos compreender qual pode ser a causa de tal aumento de peso. A pílula anticoncepcional é constituída por hormônios, substâncias que vão afetar não só a atividade reprodutiva da mulher (evitando gravidezes indesejadas), mas todo o organismo.

Por exemplo, os hormônios são capazes de acelerar ou retardar o processo de metabolismo, em particular o das gorduras. De acordo com estudos desenvolvidos sobre o tema e com base na experiência da maioria das mulheres, a pílula provoca efetivamente um ligeiro aumento de peso, que, porém, não é párea ser atribuído nem a um incremento de massa muscular tampouco de gordura.

Especificamente, o ganho de peso de que muitas mulheres se queixam enquanto tomam a pílula é a retenção de água, um edema difuso causado pela ação do hormônio estrogênio. O ganho de peso, se ocorrer, é em grande parte limitado a alguns quilos durante os primeiros seis meses de ingestão regular da pílula. Se no primeiro ano o ganho de peso for de cinco quilos ou mais, é recomendado fazer uma visita a um médico especialista em Dietética ou a um Endocrinologista, para verificar quaisquer desequilíbrios hormonais existentes no corpo e suspender a pílula, se for preciso.

Estrógeno ou estrogênio: a chave

A pílula determina um incremento de peso somente se contiver um elevado nível de estrógeno, portanto é aconselhável optar pela que contenha baixas dosagens de tal hormônio. Há tempo, a pesquisa farmacêutica está direcionando seus esforços para a produção de diversos tipos de pílulas que não tenham nenhum efeito colateral, sequer a retenção hídrica ou outras consequências sobre a resistência insulínica.

Já há certo tempo foi produzida e introduzida no mercado uma pílula anticoncepcional com uma dose de estrógeno inferior a todas as outras que eram vendidas anteriormente. Segundo os especialistas, não leva absolutamente a engordar porque é levíssima. Também existem as pílulas que contêm estrógeno 100% natural, também já comercializadas e livres de efeitos colaterais.

Efeitos adversos do uso prolongado

Bastaria escolher uma destas pílulas contraceptivas de última geração para evitar completamente o risco de ganhar peso ou de se sentir inchada, sem esquecer, porém, que o uso prolongado deste medicamente pode causar outras consequências ou a ocorrência de vários distúrbios mais em longo prazo. Alguns especialistas e estudiosos acreditam que a pílula, geralmente, não faça bem à saúde da mulher, favorecendo o desenvolvimento de patologias cardiovasculares.

Saber usar

A pílula é uma associação de estrogênio e progesterona que determinada o bloqueio da ovulação. A sua eficácia anticoncepção é devida essencialmente a esta sua ação primária de, em certo sentido, colocar em repouso os ovários.  Os efeitos colaterais da pílula anticoncepcional são, na realidade, múltiplos, indo de patologias cardiovasculares a problemas na coagulação do sangue (a trombose é um risco), então a preocupação deve ser muito menor com o fator de retenção de água.

Por esse motivo, para começar a terapia hormonal em questão, é necessário que você, mulher, faça, antes de qualquer medida, exames de sangue e procure um ginecologista que possa ministrar a você a terapia mais adequada a seu caso. Lembre-se de que a pílula é como um vestido: para uma pessoa pode parecer grande, para outras, apertado, mas no final você vai encontrar o que melhor se adapta ao seu corpo.

Claudionor Aparecido Ritondale

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta